Dicas‎ > ‎

'Excesso' em festa da empresa põe emprego em risco, alertam consultores

G1O Portal de Notícias da Globo

11/12/08 - 07h00 - Atualizado em 11/12/08 - 09h03

'Excesso' em festa da empresa põe emprego em risco, alertam consultores

Nesta época, empresas promovem festas de confraternização.
Dica dos especialistas é comemorar com moderação e bom senso.

Mariana Oliveira e Marta Cavallini Do G1, em São Paulo



Analistas recomendam cuidado com bebidas (Foto: Editoria de arte/G1)

Chegada a época em que grande parte das empresas realiza festas de confraternização entre os funcionários, é preciso cuidado: adotar uma atitude "inconveniente" na comemoração de fim de ano pode prejudicar a carreira, segundo especialistas em recursos humanos ouvidos pelo G1.

Comente esta reportagem

Para Marshal Raffa, da Ricardo Xavier Manager Assessoria em Recursos Humanos, o comportamento inadequado pode acarretar até em demissão.

"O grande erro do profissional em festas de fim de ano é o exagero. O funcionário tem de tomar cuidado com comportamentos inadequados, principalmente com bebidas. Um comportamento desse tipo, somado a outras atitudes, pode gerar demissão, sem dúvida." 

Para Marcelo Abrileri, presidente da empresa de recrutamento e recolocação Curriculum, "risco de demissão porque se comportou de forma errada existe, embora ache difícil que aconteça. O que pode ocorrer é prejudicar o futuro do funcionário dentro da empresa, o desenvolvimento da carreira. Pode ficar estigmatizado ou mal falado", diz. 

Segundo Abrileri, a dica é comemorar com moderação e bom senso. "Acho que não se deve passar dos limites. Não podemos esquecer que depois a vida continua e você voltará a ver pessoas que fazem parte do seu círculo de trabalho. Por outro lado, todo mundo está lá para brincar, não é para ficar quieto."

 

Cuidados

Marshal, da Manager, diz que é preciso tomar cuidado com paqueras. "Mesmo sendo uma festa, não se deve esquecer que se trata de comemoração do trabalho. Uma paquera, por exemplo, pode ser considerada assédio sexual." 

Para Abrileri, os principais cuidados devem ser a bebida e a vestimenta.

"Não é errado beber, se está sendo distribuída bebida. O errado é não saber o limite. Se beber muito e dormir, simplesmente vira motivo de piada. Mas se agir errado com alguém, pode se complicar. (...) Sobre a roupa, pode usar saia curta ou blusa decotada, por exemplo, mas precisa se comportar na hora de sentar."

Ele afirma que o principal da festa é interagir com os colegas e aproveitar para conhecer melhor os colegas. "Esquece o lado de trabalho, pedir aumento, por exemplo. Isso você deleta. O espaço é para se divertir, não será bem visto falar de trabalho."


Chefes de olho

Adriana Calixto, analista de RH da Catho, diz que os chefes observam o comportamento e a reação dos funcionários nas festas, principalmente os que estão para ser promovidos. A festa pode colocar o funcionário à prova ou colocar em risco a sua promoção”.

“Beber além da conta ou ter alguma ação que pode comprometê-lo ou extrapolar algum limite pode queimar a imagem dele na empresa”, diz a analista.

Segundo ela, as pessoas devem se vestir "adequadamente", não subir em cima da mesa ou do balcão do bar, não beber demais nem fazer fofoca ou comentar sobre assuntos confidenciais para outras pessoas.

“Não que seja proibido usufruir, dar risada alta. Tem que descontrair, mas respeitando os limites”.


Amigo secreto

O consultor Marshal Raffa alerta também que é preciso tomar cuidado nas brincadeiras de amigo secreto, também conhecido como amigo oculto.

"É preciso evitar bajulações. Isso acontece muito. Por exemplo, se você tira o chefe e dá um presente muito caro, pode parecer bajulação. Pode passar imagem ruim."


Leia mais notícias de Concursos e Emprego

Comments